terça-feira, julho 04, 2006

Alemanha - Itália (0-2)



Como escrevi antes, não me surpreende o resultado. A Itália foi sempre a melhor equipa em campo, e embora com m sistema ultra-defensivo esteve nos 90 minutos sempre mais próxima do golo. Marcelo Lippi também foi o único a fazer substituições de alguém que quer ganhar o jogo, colocando Iaquinta ao lado de Gilliardino com a saída de Camoranesi e trocando Perrotta por Del Piero. Podem ter sido tarde mas o que é certo é que marcaram dois golos, aproveitando a fraqueza física da Alemanha e o primeiro, por um lateral, Grosso. É revolucionário o peso dos laterais nesta equipa, nos 3 jogos mata-mata foram eles (e os árbitros) a decidir. Klinsmann mostrou-se ao nível de Van Basten, grande ponta-de-lança mas um treinador pouco experiente e sem saber o que fazer com os seus jogadores.

Melhor em Campo: Grosso (Itália)

5 espinhos:

Blogger fvaz disse...

Análise perfeita.

11:28 da tarde  
Blogger Sine Metu disse...

Klinsmann, who aspired to pair the great Franz Beckenbauer by obtaining championships as player and coach, had a reality check.
His championship as a player was due to an inexistant penalty kick and all the refferees' help that hsi team received to reach the semis was not enough to earn a ticket to Berlin.

Boa suerte!!!!

(Desde Argentina)

11:42 da tarde  
Blogger MT disse...

Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

12:51 da manhã  
Blogger MT disse...

Klinsmann reached tha semi-finals due to two factors, playing at home and Lubus Michel. I think the game they had with you was subtly manipulated by the referee. Today it was the same, but Italy had more luck. Thanks! I'm a big fan of Lucho Gonzalez ;)

10:58 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Where did you find it? Interesting read High pressure hand dryer

8:28 da manhã  

Enviar um comentário

<< Atrás